Jornal Cruzeiro do Sul


25/07/14 | Sorocaba SP

Materia

  • Imprimir
  • Enviar
| PROTEÇÃO

Sombrinhas não substituem o uso de protetor solar

Médica avisa que produtos feitos de nylon não bloqueiam a radiação solar


As sombrinhas mais indicadas são aquelas feitas de algodão grosso e lona do mesmo tipo utilizada em tendas de praia Médica avisa que produtos feitos de nylon não bloqueiam a radiação solar

De todas as cores e estilos, as sombrinhas tomam as ruas da cidade, ajudando os sorocabanos a se esconder do sol forte que tem insistido em aparecer. "Elas estão vendendo bastante", conta a vendedora Giovana Fantini. Apesar de ser comprada por homens e mulheres de todas as idades, as maiores fãs da sombrinha ainda são as senhoras mais idosas. Joana Santiago, 70 anos, conta que carregar uma sombrinha sempre que sai de casa é um hábito de família. "Sempre fizemos isso. Levo comigo mesmo que os sol não esteja muito forte", relata. Outra adepta do uso do produto é Ilda Faria Barbosa, de 59 anos, que nesta terça-feira (6) comprava uma sombrinha nova. "Escolhi essa por causa da estampa", disse.

Porém, a dermatologista Lilian Braga, do Instituto Braga, ressalta que no momento da compra é preciso levar em consideração outros fatores, além da aparência. "É uma proteção boa, mas depende do material", afirma. A médica explica que os produtos feitos de nylon não bloqueiam toda a radiação solar. As sombrinhas mais indicadas são aquelas feitas de algodão grosso e lona do mesmo tipo utilizada em tendas de praia. Para a médica, elas não substituem o protetor solar, mas são boas aliadas da pele. "A sombrinha protege mais o rosto, e deixa o resto um pouco exposto. Como o envelhecimento e o câncer de pele não ocorrem só na face, somente a sombrinha não é o suficiente", aconselha.

A preocupação com os riscos para a saúde é a motivação de Nilza da Silva, 64 anos, para carregar sua sombrinha. "O sol faz mal", justifica. Já para Maria Nascimento, 62 anos, ela é indispensável em qualquer dia. "Se fizer sol, protege do sol. E se chover, protege da chuva", conta. Embora seja uma alternativa antiga, a sombrinha continua ganhando novos fãs. O casal Mônica Conceição e Marcelo Alexandre Conceição, a utilizam para proteger a pequena Monique de três meses. "Não tinha o costume de usar, mas ela está em primeiro lugar", conta o pai.


Publicidade

Publicidade

comments powered by Disqus



cruzeirodosul.inf.br

Desenvolvimento:

Jornal Cruzeiro do Sul - Direitos Reservados

Faça uma assinatura

Por que ".inf.br"?

Os domínios ".inf.br" destinam-se a meios de informação, como rádios, jornais, bibliotecas, etc.

Acessar a versão móvel