Jornal Cruzeiro do Sul


22/07/14 | Sorocaba SP

Materia

  • Imprimir
  • Enviar
| COMBATE AO CÂNCER

Entidade busca ajuda para fazer obras e voltar a receber verba de R$ 6 mil

Para conseguir fazer obras necessárias em sua sede, a Asipeca irá mudar de endereço

 

Carolina Santana

carolina.santana@jcruzeiro.com.br

 

A necessidade de adequar a acessibilidade do prédio onde funciona atualmente a sua sede obrigou a Associação de Socorro Imediato às Pessoas com Câncer (Asipeca) a mudar novamente de lugar. Para atender as exigências da Vigilância Sanitária do Município (Visa), a associação - que atende no Parque das Laranjeiras -, voltará a funcionar na rua Bernardino Albieiro, 375, também no Parque das Laranjeiras. Dois banheiros para pessoas com deficiência e a instalação de lavatórios em todas as salas de atendimento fazem parte das exigências da Visa e, por conta disso, o repasse mensal de R$ 6 mil feito pela Prefeitura à entidade está suspenso desde o início do ano. A associação pede ajuda para finalizar as obras, retomar os atendimentos médicos e voltar a receber o repasse municipal.

Atualmente, a associação funciona em uma casa assobradada na rua Antônio de Barros, 141. O fato deste imóvel ser alugado impede que as adaptações exigidas sejam feitas. Diante das exigências da Visa, a solução mais viável encontrada pela direção da entidade foi voltar a instalar a sede na casa do diretor e fundador da associação, Nilton Antunes Fogaça. Essa não será a primeira vez que a família do diretor cede o imóvel para a entidade. A esposa dele, Célia Maria Alencar Fogaça, lembra que os primeiros anos de funcionamento foram na casa do casal. A diferença, dessa vez, é que a família não vai dividir espaço com a entidade. A mudança da família para outra casa está marcada para este final de semana.

Administradora da entidade, Letícia Hoffmann Castanho explica que essa decisão levou em conta o fato do imóvel pertencer ao diretor que permitiu a realização das obras necessárias. "Agora que eles vão se mudar, poderemos fazer as adaptações internas como a instalação dos lavatórios nos cômodos que serão utilizados para os atendimentos médicos", comentou. A construção dos banheiros adaptados já começou e, até agora, o custo já foi de R$ 6 mil. As privadas e as pias para pessoas com deficiência foram doadas pelo Rotary.

"Estamos fazendo as coisas aos poucos, conforme nosso fôlego financeiro, que, sem o repasse, está muito prejudicado", afirmou a administradora. Sem o repasse municipal, o telemarketing é a principal fonte de renda da entidade, que realiza cerca de 150 atendimentos por mês. Letícia lamenta que, mesmo sendo voluntário, o médico da entidade não possa prosseguir com os atendimentos por falta de um espaço adequado para as consultas.

  

Pedido de ajuda

Para concluir as obras, a entidade espera contar com a ajuda da comunidade. Segundo a terapeuta e técnica na área de saúde da associação, Ana Cecília Fogaça, os gastos são com material de construção e mão de obra pois as peças para os banheiros já foram doadas. Antes da nova vistoria da Visa, o prédio deve receber pintura e faxina pesada. "Vamos programar um mutirão para fazer isso. Vamos precisar de bastante gente ajudando", adiantou Ana.

O custo mensal de funcionamento da entidade é de R$ 10 mil, aproximadamente. Com o repasse mensal da Prefeitura suspenso, a saúde financeira da entidade está prejudicada. "Não corremos risco de fechar as portas pois estamos fazendo as coisas virarem. Como estamos com a obra em andamento, estamos conseguindo renovar o prazo junto com a Visa, mas a situação não está fácil", lamenta Ana. Ela teria uma reunião para conversar sobre o assunto com a vice-prefeita de Sorocaba, Edith Di Giorgi. "Vou pedir para ela alguma ajuda. Alguma forma de conseguirmos um alvará provisório para voltarmos a ter o repasse", comentou Ana. Ela destaca a preocupação da entidade em fazer todos os procedimentos de forma correta e de acordo com as exigências legais.

 

Asipeca

A entidade nasceu para dar assistência aos portadores de câncer e seus familiares. Entre as atividades oferecidas estão terapia individual, terapia comunitária, oficinas de artesanatos, distribuição de hortifruti, leite reforçado e cesta básica para famílias carentes. "Temos dois assistentes sociais que fazem visitas domiciliares para ver o que a família está precisando", explicou Ana. Ela lembra que, além do próprio doente com câncer, seus familiares também precisam de assistência.

Os trabalhos realizados pela entidade, porém, vão além desse público e a comunidade local também é beneficiada. A aposentada Elza Martins Pires, de 74 anos, é um exemplo disso. Frequentadora das aulas de artesanato, ela lembra que conheceu a entidade durante um bazar da pechincha realizado há seis anos, aproximadamente. Ela conta que parou na frente do bazar para ver algumas peças e foi convidada para frequentar as oficinas de artesanato.

Entre outras coisas, aprendeu a fazer pintura e crochê, mas o resultado mais importante foi a reconquista da autoestima. Dona Elza, que até então era analfabeta, retomou os estudos, aprendeu a ler e escrever hoje é uma de suas atividades preferida. Para demonstrar sua gratidão pela entidade, escreveu um poema falando sobre a importância da Asipeca na sua vida. O texto foi emoldurado e, atualmente, enfeita uma das paredes da recepção.

Para quem quiser ajudar a entidade, além de materiais e valores para as obras, pode doar produtos, utensílios e aparelhos médicos. Fraldas geriátricas, cadeiras de rodas e camas do tipo hospitalar estão entre os itens mais procurados pelos assistidos. Atualmente, a associação funciona na rua Antônio de Barros, 141, no Parque das Laranjeiras. Mais informações sobre o trabalho e as necessidades da entidade podem ser obtidas pelo telefone (15) 3226-5760.

 

Notícia publicada na edição de 16/05/13 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 004 do caderno B - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

Publicidade

Publicidade

comments powered by Disqus



cruzeirodosul.inf.br

Desenvolvimento:

Jornal Cruzeiro do Sul - Direitos Reservados

Faça uma assinatura

Por que ".inf.br"?

Os domínios ".inf.br" destinam-se a meios de informação, como rádios, jornais, bibliotecas, etc.

Acessar a versão móvel