Jornal Cruzeiro do Sul


25/10/14 | Sorocaba SP

Materia

  • Imprimir
  • Enviar
| EM AUDIÊNCIA

Secretaria fala dos planos para os R$ 17,2 milhões

Com aumento de 52% em relação ao ano passado, orçamento da Cultura ainda está entre os menores. Jaqueline Gomes ressalta a importância do Censo Cultural e apresenta novos projetos como a fonoteca

Andrea Alves
andrea.alves@jcruzeiro.com.br

A projeção orçamentária para 2014 da Secretaria de Cultura ainda vislumbra entre os menores orçamentos da Prefeitura de Sorocaba, porém o cenário surge mais otimista em relação ao ano passado. O orçamento estimado da pasta para o ano que vem é de R$ 17,2 milhões, o que representa um aumento de 52% em relação à projeção para 2013, que foi de R$ R$ 11,3 milhões. Em audiência realizada ontem na Câmara Municipal de Sorocaba, por conta da apresentação da Lei Orçamentária Anual, a secretária de Cultura, Jaqueline Gomes, expôs os planos de ação para 2014 e ressaltou que uma das prioridades da secretaria é ter conhecimento das produções e das necessidades em cultura na cidade.
 
Para isso, Jaqueline pretende viabilizar uma das suas ideias anunciadas logo que tomou posse como responsável pela secretaria: o Censo Cultural. Além dessa ferramenta que traça diagnósticos, está nos planos a criação de Câmaras Setoriais, com a proposta de discutir o fazer cultural. Juntos - censo e câmara setorial - vão dar dimensões da cultura em Sorocaba.

Jaqueline também comentou sobre uma novidade: a criação da Fonoteca, que vai ficar no Palacete Scarpa e que deve ser inaugurada ainda este ano. Conforme Jaqueline, esse museu, que vai reunir vinis, livros, partituras e instrumentos musicais antigos, já está em fase de catalogação e acertos finais, sob supervisão do historiador José Rubens Incao. "O acervo será importante ferramenta para quem pretende fazer pesquisas."

Os eixos de investimento do orçamento previsto para 2014 da Secult são quatro, frisou a secretária: Formação Cultural, Fomento Cultural, Comunicação e Ações Culturais. Uma das primeiras metas da administração de Jaqueline faz parte do segundo eixo citado, o de fomento cultural, e consiste na criação das Câmaras Setoriais (que dependem da aprovação do Jurídico do governo municipal). A ideia das Câmaras Setoriais é que sejam formadas por grupos da sociedade civil que possam discutir e sugerir ações para a pasta, com o intuito de estreitar a relação entre a Secretaria de Cultura e a população. Aliado a esse passo que a secretária destaca como um dos mais importantes, está a realização do Censo Cultural.

"Esse censo vai diagnosticar, com qualidade, a cultura na cidade. E é isso que vai nortear os investimentos da Secult", disse em sua apresentação. Ao Mais Cruzeiro, Jaqueline reforçou que tanto o censo quanto as Câmaras Setoriais vão dar condições de traçar os objetivos da pasta. "Precisamos saber onde queremos chegar para potencializar nossos recursos. Meu empenho e meu desgaste vão ser em função disso." Apostando em alternativas criativas, a secretária revelou que pretende entrar em contato com universidades da cidade para que esse censo seja realizado. "Seria ideal que essa pesquisa fosse feita por estudantes e profissionais das universidades. Uma parceria custaria menos para a Secult e envolveria essas instituições no processo cultural da cidade."

Encontrar baixos custos, aliás, é desafio da Secult. Dos R$ 17,2 milhões, apenas 24%, o que equivale a R$ 4,1 milhões, serão destinados a investimentos da pasta. O restante do montante é destinado aos pagamentos de pessoal (R$ 5,1 milhões), custeio (R$ 6,7 milhões) e fundação da seguridade social dos servidores públicos municipais de Sorocaba (Funserv) (R$1,1 milhão). É dos R$ 4,1 milhões que se retiram recursos para manter agenda permanente, estimular projetos já existentes e ainda colocar em prática novas ideias. Uma das possibilidades dessa administração é abrir novos editais para a ocupação de praças e parques. "Sorocaba é uma cidade linda e subutilizada. Precisamos potencializar os espaços já existentes."
Notícia publicada na edição de 10/10/13 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 1 do caderno C - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.
Matérias Relacionadas
Vale-Cultura tem potencial para injetar até R$ 10,4 mi por mês na economia
Metalúrgicos reivindicam benefício para a categoria
Livros, jornais e revistas lideram o ranking de compras com o benefício
Interessados no programa criticam falta de informações

Publicidade

Publicidade

comments powered by Disqus



cruzeirodosul.inf.br

Desenvolvimento:

Jornal Cruzeiro do Sul - Direitos Reservados

Faça uma assinatura

Por que ".inf.br"?

Os domínios ".inf.br" destinam-se a meios de informação, como rádios, jornais, bibliotecas, etc.

Acessar a versão móvel